Bahia no Século 17

 

Desde 1580, a Coroa de Portugal pertencia ao monarca da Espanha. A União Ibérica foi ruim para os portugueses. Portugal perdeu boa parte de seus territórios na Ásia, para os holandeses, que emergiam como uma potência marítima. Salvador, a Capital do Brasil, foi várias vezes bombardeada e finalmente invadida pelos holandeses, em 1624, mas expulsos no ano seguinte. Em 1640, Portugal separou-se da Espanha.

No século 17, também se destacaram as expedições baianas ao interior, iniciadas na segunda metade do século 16. Além de riquezas minerais, buscava-se também mais espaço para o gado, principalmente os senhores da Casa da Torre. As notícias dessas expedições ajudaram na posterior ocupação e demarcação do território baiano.

A guerra contra os índios rebeldes continuou, a escravidão de africanos, também. Quilombos formavam-se pelo interior. A mão de obra escrava era usada principalmente nas plantações de cana-de-açúcar. Desde a segunda metade do século 16, a Bahia se tornou um grande exportador de açúcar.

No teatro, o autor baiano Manoel Botelho de Oliveyra teve sua peça teatral Hay Amigo para amigo, publicada em Coimbra, em 1663. Foi a primeira obra publicada de um brasileiro. Na poesia, Gregorio de Mattos. Na arte sacra, vários mestres baianos. Na literatura, os Sermões de Antônio Vieira, um português educado em Salvador. Em 1627, Frei Vicente do Salvador tornou-se o primeiro brasileiro a escrever um livro de História do Brasil.

História da Bahia no século 17, em cronologia:

1608 - O Brasil foi novamente dividido em duas partes (a primeira de 1572 a 1578). A parte sul, com capital no Rio de Janeiro, e a parte norte, com capital em Salvador. Em 1612, foi novamente reunido, com capital em Salvador.

1609 - O primeiro tribunal superior do Brasil (e da América), a Relação da Bahia, foi instalada em 7 de março (fundada em 1587). Foi o único tribunal superior da América Lusitana, até 1751, quando foi criada a Relação do Rio de Janeiro.

Nesse ano, faleceu Garcia d'Ávila, que chegara junto com Thomé de Sousa, em 1549. Ele e seus descendentes realizaram várias expedições ao interior do Nordeste do Brasil. Combateram índios, encontraram ouro e expandiram suas terras para a criação de gado. Tornaram-se os maiores proprietários de terra no Brasil. Suas terras estendiam-se desde o litoral norte da Bahia até o Rio São Francisco, incluíam áreas do Maranhão e boa parte do Piauí. Incluía também as terras de Sergipe até 1590, quando foi fundada a Capitania de Sergipe d'El Rey.

1618 - Houve a segunda visitação da Santa Inquisição na Bahia (a primeira foi em 1591). Mais pessoas foram condenadas.

1621 - Foi criado o Estado do Maranhão e Grão-Pará, com capital em São Luís. Salvador continuou como capital do Estado do Brasil, dava suporte jurídico ao novo Estado e continuava como capital eclesiástica de toda a América Lusitana.

1624 - Os holandeses tomaram a Cidade do Salvador, onde permaneceram por onze meses. Foram expulsos no ano seguinte. Posteriormente foram para Pernambuco e novamente tentaram invadir Salvador em 1638, sem sucesso.

1640 - Em 1º de dezembro, Portugal separou-se da Espanha. No ano seguinte, o Vice-Rei do Brasil, na Bahia, Jorge de Mascarenhas, enviou uma comitiva a Lisboa, com a participação do Padre Antônio Vieira, para confirmar a subordinação do Brasil ao Rei Dom João IV.

Segundo o Atlas de Albernaz, toda a circunferência da Baía de Todos os Santos estava povoada de riquíssimas fazendas e engenhos de açúcar.

1649 - Concluiu-se a construção do Convento de São Francisco do Conde, no Recôncavo Baiano. O povoado que se desenvolveu na região foi elevado à condição de Vila de São Francisco da Barra de Sergipe do Conde, em 1697.

1676 - A Diocese de São Salvador da Bahia foi elevada à condição de arquidiocese, a única nessa condição no Brasil até 1892, quando a Diocese de São Sebastião do Rio de Janeiro recebeu a mesma distinção.

1693 - A aldeia iniciada por Paulo Dias Adorno com os tupinambás, no século 16, foi elevada à condição de Vila de Nossa Senhora do Rosário da Cachoeira. Foi uma das cidades mais prósperas da Bahia até o início do século 20.

1694 - Em 8 de março, fundou-se a Casa da Moeda do Brasil, em Salvador.

No final do século 17, a Bahia era um grande produtor de aguardente, fumo, gado e açúcar. A Capitania de Sergipe d'El Rey foi incorporada à Capitania da Bahia.

Mais: Salvador no século 17

 

◄ História da Bahia

 

Ilustração holandesa da Cidade do Salvador durante o ataque de invasão, em 1624.

 

Antonio Vieira

 

Bahia no Século 17

 

Casa Torre

 

Invasao holandesa Bahia

 

A Cidade do Salvador por volta de 1640. Um grande dique cercava a parte voltada para o interior. Dele, restou apenas o atual Dique do Tororó.

 

Bahia seculo 18

 

História da Bahia

Arqueologia

Descobrimento

Século 16

Século 18

Século 19

Século 20

 

Seculo VII

 

Mapa Baia Todos Santos

 

Ruínas do Castelo Garcia d'Ávila, a Casa da Torre. Ficam no atual Município de Mata de São João, litoral norte da Bahia. Moraram aqui, descendentes de Garcia d'Ávila (c.1528 - 1609) e de Caramuru. O Castelo foi iniciado em 1551 e concluído em 1624.

 

Mapas Históricos da Bahia

 

Cidade Salvador

 

Copyright © Guia Geográfico - História da Bahia no século XVII.

 

 

 

Historia da Bahia

 

 

 

 

Por Jonildo Bacelar